Tribunal de Justiça do Espírito Santo recebe visita institucional do Conselho Nacional de Justiça

O encontro, que tratou da implantação do Programa Justiça 4.0, da PDPJ-Br e do Codex, aconteceu na tarde desta quarta-feira (21/02), no Salão Pleno do Palácio da Justiça.

 

Representantes do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) se reuniram na tarde desta quarta-feira (21/02), no Salão Pleno do Palácio da Justiça para tratar da implantação do Programa Justiça 4.0, da Plataforma Digital do Poder Judiciário Brasileiro (PDPJ-Br) e do Codex.

 

A mesa de abertura do evento contou com a presença do presidente em exercício do Tribunal de Justiça, desembargador Namyr Carlos de Souza Filho, da juíza auxiliar da Presidência do CNJ Karen Luise Vilanova Batista de Souza, representando o presidente do CNJ, ministro Luís Roberto Barroso; do juiz auxiliar da Corregedoria Geral da Justiça do Espírito Santo, Ezequiel Turíbio, representando o corregedor-geral, desembargador Willian Silva; e o juiz auxiliar da Presidência do CNJ Alexandre Libonati.

 

E para dar início aos trabalhos, foi exibido um pronunciamento do presidente do CNJ, ministro Luís Roberto Barroso, que ressaltou a importância da adesão dos tribunais de todo o País aos sistemas do Programa Justiça 4.0.

 

“No campo da tecnologia da informação, os esforços do Conselho Nacional de Justiça buscam aumentar a eficiência do sistema de justiça digital, para tanto, é imprescindível concluir a integração dos tribunais brasileiros à Plataforma Digital do Poder Judiciário e ao Codex, essa colaboração é muito importante, porque ela permitirá a interação entre os sistemas e o uso de ferramentas nacionais desenvolvidas pelo CNJ, que vão permitir tornar a justiça mais ágil e eficiente”, destacou o presidente do CNJ.

 

A juíza auxiliar da Presidência do CNJ Karen Luise Vilanova Batista de Souza reforçou as palavras do ministro sobre o Justiça 4.0. “Temos aqui uma prioridade do Conselho Nacional de Justiça, de integração de todos os tribunais, de utilização do Codex, da PDPJ, como um compromisso de garantir a eficiência na prestação jurisdicional, de aproximar o Poder Judiciário do jurisdicionado e de cumprirmos a nossa missão de maneira a realizarmos efetivamente a justiça”, realçou a juíza.

 

O presidente em exercício do TJES, desembargador Namyr Carlos de Souza Filho, também falou sobre a importância da reunião para discutir os avanços e os próximos passos do Justiça 4.0, que certamente é um marco para o avanço e a modernização do Poder Judiciário brasileiro.

 

“Nos últimos anos, testemunhamos uma transformação sem precedentes na maneira como a Justiça é administrada em nosso País, a Plataforma Digital do Poder Judiciário brasileiro tem sido a espinha dorsal dessa transformação, permitindo uma transformação eficaz de diferentes sistemas aplicados nos tribunais de justiça em todo o território nacional”, salientou o desembargador.

 

O presidente em exercício do TJES também enfatizou que a difusão e capacitação dos produtos já entregues pelo programa de Justiça 4.0 ocupam um lugar central na agenda do Judiciário capixaba. “Acreditamos firmemente que a tecnologia, por mais avançada que seja, só pode ser tão eficaz quanto o seu uso pelas pessoas, portanto, é essencial que continuemos a investir significativamente na capacitação de nossos magistrados, servidores, comunidade jurídica em geral, garantindo que possam fazer o melhor uso possível das ferramentas tecnológicas disponíveis”, evidenciou.

 

Em seguida, teve início a parte técnica da reunião, também com a presença dos juízes auxiliares do CNJ, Adriano da Silva Araújo e Dorotheo Neto; dos juízes auxiliares do TJES Rodrigo Ferreira Miranda e Adriano Corrêa de Mello, bem como secretárias e secretários, assessoras e assessores do Tribunal de Justiça do Espírito Santo.

 

Fonte: TJES