26/05/2022 – 1ª e 2ª VIJI da Capital entregam certidões de nascimento para famílias que adotaram crianças e adolescentes na sexta-feira, dia 27/5

Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 25/05/2022

 

Em comemoração à Semana Nacional da Adoção, a 1ª e a 2ª Varas da Infância, da Juventude e do Idoso da Capital entregam, na próxima sexta-feira (27/5), certidões de nascimento de crianças e jovens que ganharam novas famílias. A oferta do documento marca, conforme destaca o juiz Sandro Pitthan, responsável pelas duas varas, “o início de uma nova vida para essas famílias, especialmente para os adotados”. 

 

A cerimônia de entrega dos documentos contará com a presença de pais e filhos e acontece às 11h30, na Praça Onze de Junho, 403, auditório, no Centro. O momento será para lá de especial na vida da farmacêutica Giselle Ribeiro Barros, de 51 anos, e de sua filha, a pequena Gleice Ribeiro de Barros, de 7 anos, e de mais 25 famílias. Todos irão receber o papel que, na prática, simboliza amor: as certidões de nascimento de seus filhos com seus nomes de família. 

 

Um presente merecido para Giselle, que durante a pandemia chegou a pensar em abdicar do desejo de ser mãe, acreditando que não conseguiria seu objetivo por conta das dificuldades trazidas pelo momento mundial. Mas a pandemia, que ela ajudou a combater trabalhando na produção de vacinas na Fiocruz, deixou de ser empecilho em abril de 2021, quando recebeu um telefonema de uma assistente social perguntando se ela não queria conhecer uma menina. 

 

“Fui ao abrigo e ao chegar, sem ela saber quem eu era, gritou: ‘minha mãe chegou’. Foi sintonia. A partir dali passei para as visitas, depois ela ia aos finais de semana para minha casa. No dia 22 de junho do ano passado ela foi definitivamente para minha casa. Eu ensino e também aprendo muito com minha filha. Sempre quis dar amor para uma criança”, conta Giselle, que é mãe solo. 

 

Na cerimônia de sexta-feira serão entregues certidões de nascimento de dez crianças na faixa etária de 0 a 4 anos; 11, na faixa de 5 a 12 anos; e 5 na de 12 a 18 anos.

“É uma grande satisfação ter a oportunidade de transformar a história de vida de crianças, adolescentes e suas famílias com o nosso trabalho. O recebimento da certidão de nascimento, para além de ser um direito constitucional, encerra um ciclo de vulnerabilidade ou violência que já tenha sido vivenciado pelas crianças e adolescentes e possibilita a chegada de novos sonhos, planos e principalmente a segurança de estar em um lar onde ela foi desejada e amada. Adoção, sem dúvida, é um ato de amor”, ressalta o juiz Sandro Pitthan.

 

O Brasil, de acordo com o Sistema Nacional de Adoção e Acolhimento do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), tem atualmente 4.102 crianças disponíveis para adoção. No estado do Rio elas somam 268, sendo que desse total, 152 já estão em aproximação com algum habilitado, o que já não as deixa disponíveis. 

 

Atualmente, a 1ª VIJI e a 2ª VIJI possuem, juntas, 738 processos de adoção em andamento.

 

Fonte: TJRJ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.