Rádio Itatiaia – Ano bissexto: entenda por que vai ter o dia 29 de fevereiro em 2024

Data corrige falha no calendário civil em comparação com o ciclo solar, que pode afetar as estações do ano na Terra

O ano bissexto foi criado pelos romanos para ajustar o calendário, adicionando um dia extra a cada quatro anos. Essa é a 504ª ocorrência do ano bissexto na Era Comum – o período de tempo que se inicia no ano 1 do calendário gregoriano, o mesmo que d.C. (depois de Cristo).

Mas qual o motivo dessa alteração, que impacta inclusive a celebração de aniversários?

A razão não está na Terra, mas no Universo e como nos adaptamos ao ciclo solar. Entenda:

A Terra leva cerca de 365 dias, cinco horas, 48 minutos e 36 segundos para dar uma volta ao Sol, de acordo com cientistas.

No entanto, o calendário civil tem 365 dias – o que significa que há uma diferença de cerca de 0,2422 dias a cada ano.

O réveillon é sempre celebrado à meia-noite de 31 de dezembro, sem considerar essa defasagem no ciclo solar.

Isso significa que acumulamos, aproximadamente, 5 horas e 49 minutos de tempo a mais do que o previsto por ano.

Esse tempo que “sobra” é arredondado para seis horas e, após quatro anos, somam-se 24 horas.

Ou seja, esse período equivale a um dia a mais no ano, sendo compensado com o acréscimo de 29 de fevereiro no calendário, que passa a ter 366 dias.

Dessa forma, o ano bissexto ajusta o calendário civil ao ciclo solar para evitar o deslocamento das estações.

Fevereiro foi o mês escolhido para corrigir a “falha” por ser mais o curto do calendário, com apenas 28 dias, tornando menos “perturbador” o acréscimo.

Sem o ano bissexto, ocorreria uma gradual dessincronização entre o calendário e as estações do ano, resultando em um descompasso significativo ao longo do tempo.

Esse desvio impactaria eventos sazonais, causando mudanças progressivas que afetam diversas áreas, desde atividades agrícolas até eventos astronômicos, comprometendo a organização temporal da sociedade.

Aniversário “bissexto”

Em 2024, com um novo ano bissexto, surge a questão de como registrar o nascimento de crianças nascidas em 29 de fevereiro (na próxima quinta-feira). O dilema enfrentado é como celebrar aniversários quando a data ocorre apenas a cada quatro anos.

Desde o ano 2000, 3.748 mineiros nasceram nessa data, de acordo com os Cartórios de Registro Civil em Minas Gerais. No último ano bissexto, foram registrados 539 nascimentos em Minas Gerais no dia 29 de fevereiro de 2020.

Ao logo do ciclo, as pessoas que nasceram nesta data costumam comemorar o aniversário no dia 28 de fevereiro ou em 1º de março.

A idade continua crescendo progressivamente, apesar da data exata de nascimento aparecer a cada quatro anos.

Condições legais

Mesmo em ano bissexto, a data de nascimento deve ser registrada com exatidão nos cartórios, seguindo a Declaração de Nascido Vivo (DNV) emitida pelo hospital.

O registro de nascimento é essencial para o reconhecimento da criança como cidadã e acesso a serviços de saúde e educação, que são garantidos pela Constituição Federal.

A DNV deve conter informações como nome, sexo, data, horário e município de nascimento, além dos dados da mãe. Caso os pais sejam casados, a certidão de casamento é suficiente para o registro.

Em casos de pais não casados, o comparecimento do pai é necessário. O registro pode ser feito no cartório da localidade de nascimento ou residência dos pais.

 

Fonte: Itatiaia