Garça em Foco – Helena e Gael: nomes preferidos dos garcenses em 2023

Município refletiu no ano passado a escolha de nomes que são preferência em todo o país. A maioria dos bebês que nasceu ano passado em Garça recebeu nomes semelhantes. Helena e Gael se tornaram preferência entre as famílias garcenses em 2023.

De acordo com o levantamento do Jornal Mais em dados catalogados pelos cartórios brasileiros que integram o Portal da Transparência do Registro Civil, administrado pela Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen), os nomes representam 11 meninas que se chamam Helena e 10 meninos que se chamam Gael e que nasceram na cidade de janeiro a dezembro.

O ranking aponta também que, em seguida, o nome feminino mais utilizado foi Cecília, com 08 registros, ocupando o segundo lugar que em 2022 era de Alice, que caiu para terceiro em 2023 com seis registros.

Entre os nomes masculinos, Arthur e Heitor ficaram em segundo e terceiro lugar na preferência dos pais. Outros nomes que mais foram dados aos bebês de Garça ano passado são: Miguel, Bernardo, Maria Luíza e Murilo (veja lista completa no quadro).

Essa tendência não é exclusiva de Garça. A cidade refletiu a escolha de nomes que é preferência em todo o país. Miguel, Helena, Gael se destacaram como os nomes mais escolhidos para registros de crianças em 2023 a nível nacional, com Miguel liderando pelo quarto ano consecutivo, totalizando 26.733 registros. Em cidades vizinhas, como Marília, Helena também foi o nome mais registrado, com 55 ocorrências. Alice ficou em segundo lugar, com 44 registros, seguida por Miguel com 40. Pompéia teve como destaques Gael, Miguel, Levi, Gabriel e Benicio, evidenciando variações nas preferências de nomes em diferentes localidades.

NO PAÍS

Dados coletados pelos Cartórios de Registro Civil do país revelam que Miguel, Helena e Gael também foram os nomes mais escolhidos para o registro de crianças em 2023 no país. De acordo com a Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen), os nomes bíblicos, sempre em alta, costumam manter boa posição na lista. Nos últimos anos, porém, cresceu o poder de influência dos influencers.

“Antes os nomes de personagens de novelas ou mesmo do futebol eram naturalmente destaque nos rankings, mas agora têm sido substituídos pelo fenômeno dos influenciadores digitais”, diz Gustavo Fiscarelli, presidente da Arpen. Maria Alice, por exemplo, ganhou popularidade após a influencer Virgínia Fonseca e o cantor Zé Felipe escolherem esse nome para a filha.

As escolhas mais populares, no entanto, correspondem a uma pequena fatia do total de registros, o que indica grande diversidade de nomes no Brasil. No ano passado foram feitos 2,4 milhões de registros de nascimentos até a metade de dezembro. Ou seja, o líder do ranking em 2023, Miguel, equivale a apenas 1% do total.

COMO TROCAR DE NOME

A legislação brasileira permite que o nome do recém-nascido seja trocado até 15 dias depois do primeiro registro. Além disso, qualquer pessoa com mais de 18 anos pode entrar com um pedido de alteração do nome do registro de nascimento, sem a necessidade de apresentar um motivo, de haver intervenção da Justiça ou de fazer o processo no mesmo cartório do registro original.

Mudanças no sobrenome também foram incluídas na nova legislação. Dessa forma, abre-se a possibilidade de inclusão de sobrenomes familiares a qualquer tempo, bastando a comprovação do vínculo.

Para realizar o ato diretamente em Cartório é necessário que o interessado, maior de 18 anos, compareça a unidade com seus documentos pessoais (RG e CPF).

O valor do ato é o custo de um procedimento, tabelado por lei, e que varia de acordo com a unidade da federação. Caso a pessoa queira voltar atrás na mudança, deverá entrar com uma ação em juízo. Após a alteração, o Cartório de Registro Civil comunicará a alteração a alteração aos órgãos expedidores do documento de identidade, do CPF e do passaporte, bem como ao Tribunal Superior Eleitoral, preferencialmente por meio eletrônico.

Já no caso da alteração do nome e do sobrenome do recém-nascido é necessário que os pais estejam em consenso, apresentem a certidão de nascimento do bebê e os documentos pessoais (CPF e RG). Se não houver consenso entre os pais, o caso deverá ser encaminhado pelo Cartório ao juiz competente para a decisão.

Veículo: Garça em Foco

Fonte: https://www.garcaemfoco.com.br/noticia/17793/helena-e-gael-nomes-preferidos-dos-garcenses-em-2023