CORI-MG – Cartórios em apoio às Mães da Favela

Ação promovida pela Cufa tem arrecadado doações para moradoras das favelas mineiras durante a pandemia

 

Com o agravamento da pandemia de Covid-19 em todo o estado, sobram relatos de famílias em dificuldade financeira para colocar comida na mesa. Para oferecer um alento a elas, o CORI-MG convida a todos os registradores, tabeliães e colaboradores dos cartórios mineiros a contribuir com a ação humanitária Mães da Favela, promovida pela Central Única das Favelas (Cufa) em auxílio a moradoras de 405 comunidades em Minas Gerais.

 

A escolha por essa campanha é uma resposta aos efeitos devastadores do coronavírus para as pessoas de baixa renda. De acordo com o Data Favela – estudo realizado pela Cufa em parceria com o Instituto Locomotiva –, cerca de 80% das famílias estão sobrevivendo com menos da metade da renda de antes da pandemia. Além disso, 76% afirmam que em ao menos um dia faltou dinheiro para comprar comida. Diante dessa situação, podemos ajudar a amenizar a dor.

As doações podem ser realizadas diretamente para o Mães da Favela, nas contas a seguir ou pelo site Vakinha, entre os dias 15 de abril e 15 de maio.

 

Pix

Chave: 07.648.380/0001-14

Nome: Central Única das Favelas de Minas Gerais – Cufa

Instituição: CCLA Santo Antônio do Monte

 

Conta bancária

Central Única das Favelas de MG- CUFA Minas

CNPJ: 07.648.380/0001-14

Banco SICOOB – 756

Ag: 3166

C/c: 71.515-8

 

Após realizar o depósito, envie o comprovante para [email protected] para que o CORI-MG compile os valores arrecadados e possa agradecer os envolvidos na ação.

 

Contamos com sua colaboração!

 

Sobre a Cufa

A Central Única das Favelas é uma instituição criada por jovens de várias favelas há mais de 20 anos, reconhecida nacional e internacionalmente por suas ações nos âmbitos político, social, esportivo e cultural. Com as ações realizadas, tem como objetivo difundir a conscientização das camadas desprivilegiadas da população com oficinas de capacitação profissional, entre outras atividades, que elevam a autoestima da periferia e oferece novas perspectivas aos moradores.

 

Fonte: CORI-MG