21/05/2021 – Estado de Minas – COVID-19: número de mortes entre jovens de 20 a 39 anos cresce 80% em BH

Dados mostram que população não vacinada está morrendo cada vez mais; ao mesmo tempo números reafirmam eficácia das vacinas contra a COVID-19

A Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil) divulgou nesta sexta-feira (21/5), que o número de mortos pela COVID-19 em Belo Horizonte teve crescimento entre jovens de 20 a 39 anos, sendo a faixa etária até os 29 anos a que mais teve aumento em abril, com 109%, comparada com maio de 2020. Os dados estão disponíveis no Portal da Transparência do Registro Civil.

Segundo a associação, esse aumento deixa claro que a vacinação é o melhor caminho para o combate à pandemia, já que a população mais jovem ainda não foi imunizada e registrou o maior crescimento de mortes. Diferente dos idosos que já foram vacinados com as duas doses, que observaram queda nos óbitos entre a faixa etária de 80 a 99 anos.

Os números absolutos de mortes dos 20 aos 29 anos, passaram de três, em março, para 15 no mês seguinte. Na sequência, a faixa etária que vai dos 30 aos 39 anos teve aumento de 88% nos óbitos, passando de 16 para 43, em março e abril respectivamente.

O mesmo aconteceu com a faixa etária dos 40 aos 49 anos, que também teve um aumento percentual de 63%, passando de 63 mortos em março para 91 em abril. De acordo com a Arpen-Brasil, as pessoas entre 50 e 59 anos tiveram aumento de 38%, com 128 mortes no terceiro mês do ano, para 186 no seguinte.

Enquanto a faixa etária entre 60 e 69 anos teve aumento de 30%, passando de 281 em março para 351 em abril. Ainda em crescimento, mas em patamares inferiores, a população entre 70 e 79 anos registrou aumento de mortes de 10% em relação à média desta idade no período, e um aumento de falecimentos passando de 322 em março para 403 em abril.

A média estadual também aumentou e Minas Gerais observou o crescimento de óbitos na faixa etária de 20 a 29 anos e 30 a 39 anos, total de 67% e 54% respectivamente.

Brasil tem a mesma tendência

Como divulgado pelo Estado de Minas, a população ainda não vacinada está registrando cada vez mais mortes pela COVID-19. Em entrevista com o epidemiologista Geraldo Cury, ele afirmou que é normal a mortalidade diminuir entre os idosos, pois foram priorizados na vacinação.

Além disso, os dados demonstram a eficácia da vacina, que diminuiu justamente, o número de casos confirmados e mortes entre a faixa etária já imunizada. Segundo a Arpen-Brasil, em todo o país houve crescimento nos óbitos de pessoas entre 20 a 29 anos e 30 a 39 anos, sendo 38% e 56%, respectivamente.

Fonte: Estado de Minas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.