19/03/2021 – G1SP – Estado de SP perdeu quase 370 mil vidas entre março de 2020 e fevereiro de 2021, diz associação de cartórios

Número representa aumento de 36,7% no número de óbitos entre março de 2020 a fevereiro de 2021 na comparação com a média histórica. Fevereiro de 2021 foi mês mais mortal com 30.796 óbitos registrados pelos cartórios do estado de São Paulo.

O estado de São Paulo contabilizou quase 370 mil mortos entre março de 2020 e fevereiro de 2021, um recorde de acordo com a Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo (Arpen-SP), que representa os cartórios. O período compreende um ano desde o início da pandemia de coronavírus, principal causa das mortes.

Foram 368.533 mortes no período, um crescimento de 36,7% nos óbitos e 99.071 mortes a mais em relação à média do estado. O número de mortes é recorde desde o início da série histórica, iniciada em 2003.

Na comparação com março de 2019 a fevereiro de 2020, o aumento foi de 19,5% no número de falecimentos. A associação de cartórios registrou, além de mortes em decorrência da Covid-19, o aumento no número de mortes em decorrência da doença, como mortes em domicílios em razão da falta de leitos ou do medo da ida aos hospitais, e reflexos no crescimento dos falecimentos por doenças respiratórias e cardíacas aceleradas pelo vírus.

Os dados do constam no Portal da Transparência do Registro Civil, base de dados abastecida em tempo real pelos atos de nascimentos, casamentos e óbitos praticados pelos cartórios de registro civil do país e cruzados com os dados históricos do estudo Estatísticas do Registro Civil, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com base nos dados dos próprios cartórios brasileiros.

 

Fevereiro mais mortal

Fevereiro de 2021 foi o mês que registrou mais mortes por causa do agravamento da pandemia. Foram 30.796 óbitos registrados pelos cartórios do estado de São Paulo no período, 10.748 mil óbitos a mais do que a média para o período.

O número foi ainda 34,9% maior do que a média histórica dos meses de fevereiro desde 2003, sendo 33,8 pontos percentuais a mais em relação à média para o período. Na comparação com fevereiro de 2020, o crescimento foi de 39,7%.

Na capital paulista, a situação se repetiu e tornou o mês de fevereiro de 2021 o mais mortal da série histórica em São Paulo, com um total de 8.407 óbitos registrados pelos cartórios, 2.553 óbitos a mais do que a média para o período.

O número foi ainda 30,4% maior do que a média histórica dos meses de fevereiro desde 2003, sendo 30 pontos percentuais a mais em relação à média para o período. Na comparação com fevereiro de 2021, o crescimento foi de 37,6%.

De acordo com a Arpen, o número de óbitos registrados nos meses de 2021 ainda pode aumentar, assim como a variação da média anual e do período, uma vez que os prazos para registros são de até 15 dias entre o falecimento e o lançamento do registro no Portal da Transparência.

Fonte: G1 SP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *