12/01/2022 – G1 RS – Covid: 13 crianças morreram pela doença no RS desde o início da pandemia, aponta levantamento de cartórios

Vacinação da faixa etária começa na próxima semana. No total, foram 196 mortes por causas naturais entre crianças de 5 a 11 anos no estado.

 

Por g1 RS

 

12/01/2022 08h18 Atualizado há uma hora

 

Treze crianças, de 5 a 11 anos, morreram em consequência do contágio pela Covid-19 no RS desde março de 2020, início da pandemia da doença, segundo levantamento da Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil), com dados do portal de transparência dos cartórios de registro civil.

 

Meninos e meninas dessa faixa etária começam a ser vacinados na próxima quarta-feira (19), no estado. A aplicação começa entre o público com comorbidades. Depois, a imunização avança, de acordo com o ano da criança.

 

O levantamento da Arpen vai até a primeira semana de janeiro de 2022. No total, o estado teve 196 óbitos de crianças, considerando causas naturais.

 

Três vítimas tinham 6 anos. Já entre as faixas de 7, 8, 10 e 11 anos, foram registrados dois óbitos devido à doença. Além disso, uma criança de 5 e outra de 9 também morreram em decorrência da infecção pelo vírus.

 

Nove foram registradas em 2021. No primeiro ano da pandemia, foram quatro crianças. Na primeira semana de 2022, não houve registro de óbitos. A Arpen salienta que os cartórios têm até 10 dias para enviar os dados para o Portal da Transparência.

 

O levantamento ainda mostra que o estado teve cinco crianças vitimadas por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), uma por causa indeterminada e duas por morte súbita.

 

“No caso das crianças, os tristes números também fazem parte do momento que estamos vivendo e indicam que a vacinação pode ser o melhor caminho para salvar vidas”, destaca Sidnei Birmann, presidente da Arpen no RS.

 

Causas mortis de crianças no RS

 

    Septicemia: 30 mortes

    Pneumonia: 25

    AVC: 12

    Insuficiência Respiratória: 21

    Covid-19:13

    Demais Óbitos (doenças não segmentadas): 81 mortes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.