09/04/2021 – TJ/SP – Três novos desembargadores tomam posse no TJSP

Solenidade virtual teve transmissão pelo Youtube.

            “O Tribunal de Justiça de São Paulo está sempre se renovando. Os valores novos vêm preencher as lacunas existentes. Essa renovação não é apenas uma exigência natural, mas absolutamente necessária e desejada, porque representa a mensagem dos novos tempos, da vida em contínua transformação, o rejuvenescimento imprescindível à renovação do Direito.” As palavras do presidente da Corte, Geraldo Pinheiro Franco, foram proferidas hoje (8) na posse administrativa de três magistrados no cargo de desembargador do TJSP: Luis Roberto Reuter Torro, Marcelo Semer e Luis Fernando Camargo de Barros Vidal. A cerimônia virtual foi transmitida ao vivo pelo canal do TJSP no Youtube.

            O evento também contou com a participação dos integrantes do Conselho Superior da Magistratura: o vice-presidente, desembargador Luis Soares de Mello; o corregedor-geral da Justiça, desembargador Ricardo Mair Anafe; o decano da Corte, desembargador José Carlos Gonçalves Xavier de Aquino; e os presidentes das Seções, desembargadores Guilherme Gonçalves Strenger (Direito Criminal), Paulo Magalhães da Costa Coelho (Direito Público) e Dimas Rubens Fonseca (Direito Privado); o diretor da Escola Paulista da Magistratura, desembargador Luís Francisco Aguilar Cortez; assim como familiares e amigos dos empossados, magistrados e servidores.

            Após a leitura do termo de compromisso, os novos desembargadores fizeram breves agradecimentos. Luis Roberto Reuter Torro afirmou ser uma honra integrar o TJSP, “que mesmo frente às atuais circunstâncias, tem dado exemplo de qualidade e produtividade”. Sua fala também foi de agradecimento, em especial aos familiares que o apoiaram ao longo da carreira.  E concluiu: “Agradeço a Deus por estar aqui, em novas oportunidades de serviço público na Justiça do nosso país, que me comprometo a exercer devotando minha boa vontade, meus esforços e o conhecimento disponíveis”. 

            Marcelo Semer também dedicou sua fala para agradecer familiares, amigos, colegas de carreira e servidores. Fez referência ao momento difícil de pandemia, lamentando a morte de milhares de pessoas no Brasil, e destacou a trabalho essencial da Justiça. “Prometo continuar cumprindo fielmente as minhas funções com a mesma dedicação e me comprometo a jamais abrir mão dos ideais que me guiavam há 31 anos, quando iniciava essa carreira, e que me guiam até os dias de hoje: compreender o papel de juiz como garantidor dos direitos e um defensor intransigente da Democracia”, disse.

            Para Luis Fernando Camargo de Barros Vidal o compromisso firmado pelos magistrados está entranhado na disposição de servir à construção do estado democrático de direito e “impregnado do afeto necessário para o cumprimento da mais importante tarefa do juiz, que é conduzir a lei até as necessidades e possibilidades das pessoas”. Ele também registrou sua felicidade por tomar posse na presença de familiares, amigos e servidores, pessoas que o participaram de sua trajetória. 

            Também fizeram uso da palavra os presidentes das Seções de Direito Público e Direito Privado do TJSP, para ressaltar a atuação dos magistrados, enaltecendo seus conhecimentos técnicos e suas carreiras. Paulo Magalhães agradeceu especialmente a Marcelo Semer e Luis Fernando de Barros Vidal pelo trabalho na Seção de Direito Público, onde atuavam como juízes substitutos em 2º Grau. Dimas Fonseca deu as boas-vindas aos três desembargadores, que passam a integrar o Direito Privado.

            O presidente Pinheiro Franco encerrou a solenidade ao saudar os novos desembargadores em nome do Tribunal. “São nomes já consagrados como magistrados de fina estirpe, intelectual e moral, e de quem tudo espera as tradições da Corte, que são o sacrifício, o trabalho, estudo das causas, o compromisso, o amor à causa pública, o respeito ao próximo e inteira dedicação aos que buscam para seus direitos doentes a cura da Justiça.” Ele também discorreu sobre a admiração e consideração que os novos integrantes transmitem a seus pares e desejou sucesso na nova fase da carreira.

            Também acompanharam a posse os desembargadores Angelica de Maria Mello de Almeida, Nilo Cardoso Perpetuo, Antonio Carlos Villen, Ricardo Cintra Torres de Carvalho, Teresa Cristina Motta Ramos Marques, Luiz Augusto de Siqueira, Fernando Antonio Torres Garcia, James Alberto Siano, Ronaldo Sergio Moreira da Silva, Elcio Trujillo, Edson Luiz de Queiroz, Alexandre Carvalho e Silva de Almeida, Marcelo Coutinho Gordo e Sergio Mazina Martins, o juiz substituto em 2º Grau Xisto Albarelli Rangel Neto; familiares e amigos.

            Trajetórias

            Luís Roberto Reuter Torro – nasceu em dezembro de 1957, em Catanduva (SP). É formado pela Faculdade de Direito de Guarulhos, turma de 1981. Trabalhou como advogado antes de ingressar na Magistratura em 1987, nomeado juiz substituto da 16ª Circunscrição Judiciária, com sede em São José do Rio Preto. Nos anos seguintes judicou nas comarcas de Paulo de Faria e Ibiúna. Em 1992 tornou-se juiz auxiliar da Capital. Em 2005 assumiu a 2ª Vara da Família e das Sucessões do Foro Regional de Vila Prudente. Ocupa a cadeira decorrente da aposentadoria do desembargador Roberto Galvão de França Carvalho. 

            Marcelo Semer – nascido em março de 1966, é natural de São Paulo (SP). Bacharelou-se em Direito pela Universidade de São Paulo (USP), turma de 1987. Atuou como jornalista antes de ingressar na Magistratura. Em 1990 foi nomeado juiz substituto da 45ª Circunscrição Judiciária, com sede em Mogi das Cruzes. Nos anos seguintes judicou nas comarcas de Bariri e Sumaré e foi promovido a juiz auxiliar da Capital em 1992. Assumiu a 15ª Vara Criminal Central em 2005 e em 2013 foi removido para o cargo de juiz substituto em 2º Grau. Assume a carreira deixada pela desembargadora Denise Andréa Martins Retamero, em razão de sua aposentadoria. 

            Luis Fernando Camargo de Barros Vidal – nasceu em setembro de 1964 na cidade de São Paulo. É bacharel em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, turma de 1988. Ingressou na Magistratura em 1989, nomeado juiz substituto da 4ª Circunscrição Judiciária, com sede na Comarca de Osasco. Em seguida passou pelas comarcas de Boituva, Cotia e Santo André. Em 1998 foi removido para o cargo de juiz auxiliar da Capital. No ano de 2005 foi promovido para a 1ª Vara Especial da Infância e da Juventude Central e em 2009 foi removido para a 3ª Vara da Fazenda Pública Central. Alcançou o posto de juiz substituto em 2º Grau no ano de 2013. Assume a cadeira decorrente pela aposentadoria do desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças, ex-presidente do TJSP.

 

Fonte: TJ/SP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *