08/11/2021 – Tribuna da Bahia – Nascimento de bebês tem queda pelo segundo ano consecutivo na pandemia

Na Bahia, de janeiro a outubro deste ano foram menos de 150 mil bebês registrados

A pandemia da Covid-19 não só deixou um rastro de mais de 600 mil mortos entre a população brasileira, como também começou a causar impactos futuros, atingindo as taxas de natalidade. Números de Registro Civil revelam queda nos nascimentos de bebês em todo Brasil de janeiro a outubro deste ano na comparação com o mesmo período do ano passado. Só na Bahia foram 149.467 nascimentos este ano contra 155.267 de 2020. O número é 3,74 pontos percentuais menor que o do ano passado, que já tinha registrado queda frente ao período pré-pandemia (2019).

“O número de nascimentos vinha em uma crescente até o ano de 2019. Com o início da pandemia, as famílias começaram a adiar o planejamento de ter um filho. A gente vem percebendo com base nos dados, que quase todos os meses tivemos uma redução drástica no número de nascimentos. Isso é resultado, na nossa avaliação, deste período de instabilidade decorrente da pandemia”, avaliou o presidente da Associação dos Registradores Civis das Pessoas Naturais do Estado da Bahia (Arpen-BA), Daniel Sampaio.

 

Conforme ainda os dados da Arpen, mesmo com a queda nos registros, a Bahia ainda é o quarto estado que mais teve nascimentos de bebês este ano. O estado só fica atrás de São Paulo (449.766), Minas Gerais (204.544) e Rio de Janeiro (160.733). Os dados refletem os números de janeiro a outubro. “Nossa população está em um processo de estagnação. E o crescimento econômico está muito ligado com o crescimento da população. Com certeza essa diminuição vai ter um impacto muito grande para o futuro do país nos próximos anos”, acrescentou Daniel Sampaio.

 

Perspectiva

A queda de nascimentos é algo que costuma ocorrer em períodos críticos, mas não significa que ela se manterá constante com o passar dos anos. Conforme Daniel Sampaio, a perspectiva para o ano que vem é de volta aos índices pré-pandemia. “Eu acredito que vamos ter um crescimento em 2022. Minha percepção é que as famílias ficarão mais encorajadas para ter filhos após esse período de pandemia”, finalizou o presidente da Arpen.

 

Segundo a estimativa mais recente divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população brasileira chegará a 213,3 milhões em 2021. O número representa um crescimento de 0,74% na comparação com a população estimada em 2020. O IBGE informou, porém, que a nova estimativa da população não incorpora os efeitos da pandemia de coronavírus. As implicações da pandemia no tamanho da população serão verificadas a partir do próximo Censo Demográfico, previsto para ser realizado em 2022.

 

Fonte: Tribuna da Bahia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *