04/08/2021 – G1 – Venda de imóveis cresce mais de 77% no primeiro semestre deste ano em comparação com o mesmo período de 2020 em SP

Foram quase 30 mil imóveis vendidos na cidade de São Paulo. Para especialistas, o aumento das vendas é uma consequência da diminuição das taxas de juros de crédito imobiliário.

 

A venda de imóveis na cidade de São Paulo teve um aumento de 77,16% no primeiro semestre de 2021, em comparação com o mesmo período do ano passado.

 

Os imóveis menores e mais baratos, que fazem parte do programa do governo federal Casa Verde e Amarela, antigo Minha Casa, Minha Vida, foram a maioria entre as 27.114 mil unidades lançadas neste ano na capital. E foi esse também o perfil dos 29.935 imóveis vendidos.

 

A auxiliar de serviços gerais e manicure Edna Neres foi uma das pessoas que adquiriu a casa própria, após anos morando de aluguel. “Comprei na planta e está previsto para ser entregue em janeiro de 2023. Isso é fruto do meu trabalho, estou trabalhando apenas para pagar o aluguel de onde estou morando e as parcelas do apartamento.”

 

Segundo o presidente do sindicato da habitação (Secovi – SP), o aumento das vendas é uma consequência da diminuição das taxas de juros de crédito imobiliário. “No momento, as taxas estão em suas mínimas históricas, isso faz com que a prestação caiba no bolso das famílias com mais facilidade”, afirma Basilio Jafet.

 

As concessões de crédito imobiliário com recursos da poupança cresceu 127% no primeiro semestre deste ano no estado de São Paulo.

 

Uma construtora responsável por um empreendimento no Jardim Angela, na Zona Sul de São Paulo, lançou 5 mil imóveis só no primeiro semestre deste ano.

 

Segundo a diretora de negócios da empresa, as novas leis de habitação aprovadas pela Câmara de São Paulo facilitaram que os imóveis fossem desenvolvidos próximos a estações ou pontos de ônibus, mais atraentes para as pessoas e com uma boa infraestrutura.

 

Apesar do crescimento na venda, o déficit habitacional também teve um aumento na capital, cerca de 470 mil famílias vivem sem moradia ou em condições precárias.

 

Fonte: G1 – São Paulo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *