03/11/2021 – CGJ/RJ – Corregedoria viabiliza a instalação de mais dois cartórios de registro civil em bairros da zona oeste e zona norte do Rio

A população residente nos bairros da zona norte e zona oeste da cidade do Rio de Janeiro passa a contar com mais dois cartórios de Registro Civil de Pessoas Naturais – RCPN, para atendimento de registros de nascimento, casamento e óbito. 

 

Os cartórios 15º RPCN e 16º RCPN foram inaugurados nesta quarta-feira (03/11), cumprindo o determinado na Lei nº 7762/2017, que prevê a criação das serventias, e no Provimento nº. 81/2021 da Corregedoria Geral de Justiça, que viabiliza a instalação.  A medida da CGJ busca um atendimento mais ágil para os cidadãos que residem nos bairros das duas regiões consideradas as mais populosas do Rio de Janeiro. 

 

O 15º Registro Civil, criado a partir de um desmembramento da área do 11º Registro Civil, funcionará no Penha Shopping, na Av. Brás de Pina, nº 150. O cartório abrangerá atendimentos dos bairros de Vila Kosmos, Vila da Penha, um trecho de Vicente de Carvalho, Penha Circular, Penha, Brás de Pina, Vista Alegre, Cordovil, uma parte de Colégio, Irajá, Parada de Lucas, Vigário Geral, Jardim América, Acari, Parque Columbia, Pavuna e Olaria.

 

A responsável pelo expediente interina, que ficará à frente do 15º RCPN, Priscilla Milhomem, explicou que o novo cartório conta com equipe treinada para prestar atendimento de qualidade à população da sua área de competência. “O retorno dos livros da extinta sucursal Penha da 12 Circunscrição para a região também terá um impacto muito positivo”, disse. A RE contou que hoje pela manhã, ao inaugurar o cartório, a primeira cliente a ser atendida, Sra. Andrea, fez questão de relatar a satisfação de encontrar o livro do seu casamento perto da sua residência.

 

O 16º Registro Civil, criado a partir de um desmembramento da área do 14º Registro Civil, funciona na Avenida de Santa Cruz, Nº 1.566, em Realengo. A serventia prestará atendimentos referentes aos bairros de Realengo, Magalhães Bastos, Padre Miguel, Bangu, Senador Camará, Santíssimo, Senador Vasconcelos e uma parte de Campo Grande.

O RE interino, Benjamim Medeiros da Silva, pontuou que: “A instalação de um novo registro civil representa enorme avanço na oferta de serviços à comunidade local. Constitui ainda forte instrumento de combate ao sub-registro  de nascimento, facilitando o acesso à documentação básica do cidadão”. 

 

Fonte: CGJ/RJ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *